Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis


 
Blog da DINOSFERA


Nosso ancestral chinês

15/08/07

 

Sempre tratamos aqui no blog de achado ou de evolução de diferentes animais e plantas. Agora está na hora de descobrirmos um pouco mais sobre a evolução humana. E mais uma vez as descobertas feitas na China contribuíram bastante para conhecermos mais um pouco dessa história. Dessa vez, fósseis de ancestrais do homem foram achados representando um momento da evolução em que nossos ancestrais começavam a se espalhar pelo mundo e seu cérebro começava a crescer.

 

Isso mesmo... O homem e seus ancestrais surgiram e se desenvolveram durante a chamada Era Cenozóica, que começou logo depois da extinção dos dinossauros, há 65 milhões de anos. Esse enorme espaço de tempo é dividido em partes menores e um deles é o Pleistoceno, que ocorreu entre 2 milhões e 10 mil anos atrás.

 

Pois foi há 260 mil anos, portanto dentro do Pleistoceno, que o cérebro humano começou a crescer bem rápido em relação ao resto do corpo. Isso é revelado pelos fósseis encontrados na China e que correspondem a um crânio quase completo e em bom estado de preservação, além de ossos da bacia e outras partes do corpo.

 

Outra curiosidade encontrada pelos cientistas é que o tamanho estimado para o corpo desse nosso ancestral estava bem relacionado com o clima da época, outra informação que combina com propostas de outros cientistas de que o corpo de nossos ancestrais foi se adaptando de acordo com as mudanças climáticas, o que continua até hoje. Por exemplo, povos que vivem em locais muito frios têm corpos grandes. Esses ossos chineses, segundo os cientistas, pertenceram a uma fêmea com aproximadamente 1,68 metro de altura e quase 80 kg de peso, ou seja, grande se compararmos com a média das mulheres atuais.

 

É, a evolução do homem ainda esconde mistérios como esse...

 

Equipe DINOSFERA



Escrito por Dinosfera- Fernanda e Luiz às 09h44
[] [envie esta mensagem] []



Os dedos do panda

15/08/07

 

Vez por outra ouvimos na TV ou lemos em revistas e jornais algum caso curioso sobre pandas. Ou eles comem muito broto de bambu ou demoram a se acasalar, não importa... esses simpáticos animais sempre estão em evidência. Mas desta vez as manchetes sobre o panda tratam da sua evolução. Foi anunciada a descoberta da mais antiga evidência de polegar falso em um fóssil de ancestral do panda, o que ajuda a entender como ocorreu a evolução entre os dois tipos de pandas. O que??? Você não sabia que existem dois tipos de pandas?

 

Estamos falando do panda gigante (Ailuropoda melanoleuca), com sua pelagem branca e preta e mais de 100kg de peso, e do panda vermelho (Ailurus fulgens), como o próprio nome diz com a pelagem avermelhada e aproximadamente 5kg de peso. Mesmo sendo bastante diferentes eles são semelhantes em alguns aspectos importantes, ou seja, os dois têm a mesma origem, vivem no continente asiático, correm risco de extinção, se alimentam de bambu e possuem um falso polegar, o que tem tudo a ver com essa nova descoberta científica.

 

Você deve estar se perguntando: mas o que é um polegar falso? Para que serve? Esse polegar falso é um osso protuberante presente nos pés e que permite que os pandas tenham uma grande habilidade para manipular os alimentos. O que se observa é que o panda tradicional e o panda vermelho têm o polegar falso, mas com estrutura diferente em cada um deles. Sendo assim imaginava-se que eles tivessem evoluído de maneira independente, a partir de ancestrais diferentes, o que só agora encontra comprovação.

 

Agora houve a descoberta de evidências de um falso polegar em fósseis de um ancestral do panda vermelho. Tanto o fóssil como o panda vermelho têm o polegar falso bem similar em estrutura e posição. Só que o ancestral era carnívoro e o panda vermelho, como comentado acima, é herbívoro e se alimenta de bambu. Sendo assim, imagina-se que o ancestral usava o falso polegar para subir mais facilmente em árvores e evitar os predadores. Com a evolução o panda vermelho adaptou a função do polegar para a manipulação de bambu.

 

Quer saber mais sobre evolução, Charles Darwin e o polegar do panda? Que tal ler o livro “O polegar do panda (1980) de Stephen Jay Gould?

 

Equipe DINOSFERA

 



Escrito por Dinosfera- Fernanda e Luiz às 09h42
[] [envie esta mensagem] []



Pequenas soluções para grandes problemas

14/08/07

 

Hoje em dia vemos a vida no planeta passando por sérios e grandes problemas. É desmatamento, aquecimento, poluição... o fato é que no passado a vida passou por outras crises até mais severas do que a de hoje. Muitos desses grandes problemas do passado permanecem sem explicação e continuam sendo investigados. E algumas vezes, respostas para grandes problemas podem estar nas pequenas coisas.

 

Foi mais ou menos isso que ocorreu recentemente. No final da Era Mesozóica houve a grande extinção que acabou com os dinossauros e outros tantos organismos. Até aquele momento, os vertebrados que dominavam o planeta eram os répteis do tipo dos dinossauros, com formas e tamanhos bastante variados. Os mamíferos até existiam, mas eram muito pequenos, a maioria não sendo maiores do que ratos e alguns chegando até o tamanho de gatos domésticos. Depois da extinção o quadro se inverteu, e os répteis diminuíram muito de quantidade e os mamíferos passaram a dominar os ambientes. A pergunta que não quer calar é: por quê?

 

Pois um pequeno dente molar descoberto na Argentina, provavelmente de um pequeno mamífero da Era Cenozóica, acaba de se tornar o fóssil mais antigo de um mamífero dessa Era. Na América do Sul a história da passagem da Era Mesozóica para Cenozóica apresenta algumas falhas grandes no que diz respeito aos fósseis dessa época, ou seja, faltam fósseis que ajudem a contar essa parte da pré-história. No entanto, acredita-se que, assim como em outras partes do mundo a fauna sofreu uma grande reformulação naquela época.

 

O dente encontrado pode ajudar a contar essa história. Talvez ele fosse de um mamífero marsupial, grupo que hoje em dia contém animais como cangurus e gambás. Sendo assim, o dente mostra que esse grupo de organismos que surgiu ainda na Era Mesozóica, evoluiu também na América do Sul no início do Cenozóico. Portanto é mais uma importante peça do quebra cabeças se encaixando...

 

E aí? Gostou? Se tiver alguma dúvida escreva para a gente...

 

Equipe DINOSFERA



Escrito por Dinosfera- Fernanda e Luiz às 09h40
[] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]